História

O Instituto de Engenharia do Paraná – IEP, a mais antiga das entidades da engenharia paranaense, e a terceira do país, chega aos 91 anos com uma admirável folha de serviços prestados ao desenvolvimento e a causa paranaense e consolida, a cada ano que passa, sua presença na sociedade.

A criação do IEP, em 6 de fevereiro de 1926, foi resultado do esforço de um grupo de denodados engenheiros que, com visão de futuro, perceberam que a defesa dos interesses da classe precisava de uma entidade que, congregando os engenheiros, uniria forças para a conquista de seus direitos e deveres.

Naquela época, o exercício da profissão de engenheiro estava relegado a segundo plano, pois não havia legislação que protegesse a classe da intromissão de leigos e práticos e até curiosos em uma atividade altamente especializada, como é a engenharia e a arquitetura em todos os seus campos de atuação.

Foi preciso que o IEP empreendesse uma campanha persistente junto aos órgãos públicos, tanto no legislativo quanto no executivo, para que a classe de engenharia obtivesse o reconhecimento que sua atividade exige.

Assim, tanto em 1926 como em 1931, já no início da Era Vargas, o IEP tendo à frente seu Presidente Honorário, Engenheiro Plínio Alves Monteiro Tourinho, apresentou a 1ª lei reguladora do exercício profissional da classe, a Lei nº 2384, de 10 de Março de 1926, acompanhada no Congresso Legislativo do Estado do Paraná pelo Deputado Estadual Hernani Nogueira Zaina e promulgada pelo Presidente do Estado do Paraná Caetano Munhoz da Rocha.

Em 1931 é editada nova lei, o Decreto nº 14, de 2 de Janeiro de 1931, também de autoria do Presidente Honorário do IEP e promulgada pelo General Mário Alves Monteiro Tourinho, na qualidade de governador Provisório do Estado do Paraná.

Este esforço de nossos pioneiros na luta pelos direitos da classe e a própria história do IEP nada mais são do que uma luta constante de seus membros pela defesa da engenharia.