A organização associativa dos Engenheiros no Brasil

A primeira associação da Classe de Engenharia no Brasil ocorreu, como não poderia deixar de ser, pela proximidade da Corte Imperial – no Rio de Janeiro, com a fundação do Clube de Engenharia do Rio de Janeiro em 24 de dezembro de 1880. Seus Estatutos foram aprovados pelo Gabinete do Imperador, D. Pedro II, chefiado pelo Barão Homem de Mello, cujo Decreto Imperial recebeu o nº 8553.

Com a proclamação da República e a promulgação da Constituição de 1891, surgiram até 1930 as seguintes associações

a) Instituto de Engenharia de São Paulo, 1917;

b) Clube de Engenharia do Recife Pernambuco, 1919;

c) Instituto de Engenharia do Paraná, 1926.

Até 1930, quando se iniciou no Brasil a Era Vargas e todo o arcabouço do sindicalismo, com o surgimento dos sindicatos das diversas especialidades de Engenharia e Arquitetura, os CREAS compondo o sistema CONFEA formavam o quatro das Associações que exerciam o poder disciplinador destas profissões em seus estados e a difusão para outras unidades da federação.

No Paraná, desde as primeiras horas, a Classe de Engenharia contou com a presença constante e a liderança inconteste do Prof. Dr. Plínio Alves Monteiro Tourinho, como idealizador, aglutinador e orientador do IEP, como Presidente Honorário e Sócio Benemérito , que merecidamente empresta seu honrado nome à Sede Própria do IEP.

Negócio

Promoção da Engenharia para o bem comum

Visão
Valorizar seus associados a engenharia e a tecnologia buscando uma sociedade mais justa
Propugnar pelo desenvolvimento sustentável e pela valorização de seus associados
Incrementar o bem comum no âmbito da engenharia valorizando seus associados

Congregação
Liderança
Realização
Idoneidade

Missão
Fomentar o desenvolvimento da Engenharia integrando e valorizando os profissionais, oportunizando capacitação e agindo como fórum de discussão da sociedade.
Promover a engenharia através de ações educacionais, proposições de interesse público, congraçamento e valorização profissional (congraçamento, valorização, promoção da engenharia). Promover, valorizar e congregar o bem comum.